Nossa Casa – A Copa

image

Quando você convida alguém para visitar sua casa, o que é praxe fazer? Organizar a casa, deixar ela limpa, aconchegante, comprar alguma coisa para oferecer aos convidados, tratá-los com cordialidade e respeito, concordam?

Alguns vendem a ideia que a copa será um fracasso, estádios inacabados, aeroportos sem estrutura, dinheiro público jogado fora, que haverá manifestações, quebra-quebra e tudo de pior.

Pergunto uma coisa, quem convidou? Não foi o nosso País que foi solicitar que a Copa fosse realizada aqui? Quem pleiteou a copa, não era o representante do povo? Que se não foi com o seu voto, foi eleito para representar o País, não foi?

Não concordo com quem afirma e torce pelo fracasso da copa, apesar de também não concordar como o planejamento, ou digamos a falta de planejamento que o País teve para recebê-la. Com obras atrasadas e orçamentos supervalorizados, enfim tudo aquilo que nos acostumamos, a reclamar e nos indignar. Agora pergunto, adianta boicotar a Copa? Deixar de colher os frutos que ela proporcionará ao País? Sim, frutos, turistas trazem dinheiro e isso fica no Brasil.

Temos a oportunidade de mostrar ao mundo nossas potencialidades. Vamos preferir apontar nossos defeitos? Quando você recebe visitas em sua casa, você diz que o banheiro tá com vazamento? Que não teve dinheiro para pagar a faxineira? Que a casa segue com goteiras? Ou oferece o melhor salgado e bebida que você tem?

Não queiramos que o Brasil tenha uma copa perfeita ao estilo alemão, não somos alemães. Somos Brasileiros com muito orgulho, temos que perder esse espírito “vira lata” de achar que tudo que temos é ruim, ou só fazemos as coisas no “jeitinho”. Nosso País e nosso povo têm valor e isso temos que mostrar ao mundo, ou você irá apontar a goteira?

Frederico da Luz

 

Páscoa para renascer

Coragem

O significado da páscoa para os cristãos é a ressurreição de Cristo depois de sua crucificação. A vida é uma constante ressurreição, todo dia estamos recomeçando, a cada novo dia, temos a oportunidade de vivenciarmos sentimentos novos, mudar aquilo que nos incomoda e esta a nosso alcance e refletir sobre aquilo que gostaríamos de mudar, mas não há possibilidade, pois como humanos temos limitações.

Nessa data onde as famílias se reúnem, amigos confraternizam por que não também aproveitarmos para algumas mudanças (ressurreições)? Mudar a forma como tratamos nossos próximos, nossos pais, filhos, e todo nosso circulo de amizade, cobrando menos e aceitando mais. A mudança começa dentro de cada um, mudar dentro, é o primeiro passa para transformarmos o exterior. E o poder de um singelo gesto, de uma pequena mudança tem efeitos gigantescos, proponho, dê o primeiro passo.

Nas nossas relações sempre temos algo “a resolver” por que não aproveitar o momento para resolver? Perdoar, pedir desculpas são atitudes nobres, difíceis muitas vezes, mas de um poder libertador.

Permita nesses dias de confraternização que o amor é o sentimento que predomina para tirá-lo da teoria e aplicá-lo na prática, basta ter coragem e fé, a mudança começa dentro de cada um.

O que você está esperando para dar o primeiro passo?

Uma bela páscoa para todos!

Um Forte abraço!

Frederico da Luz – 18-04-2014

Parabéns, Minha Irmã

No dia 9 de abril, minha irmã comemora 30 anos. Peço a liberdade aos leitores para uma breve e singela homenagem. Quem conhece a “Nessa” sabe o quanto ela é especial, não pela maneira convencional e sim pelo seu jeito único de viver. Eu como irmão mais velho, ela com 2 anos a menos vivíamos até a adolescência uma constante briga por espaço na família. Sim, mesmo que obviamente na época não percebíamos isso, mas de forma diversa queríamos era atenção.

Eu com meu jeito “certinho” ela com seu jeito rebelde e espontâneo, eu seguindo praticamente todas convenções socias, ela simplesmente sendo ela mesma e pouco se importando com tais convenções.

Aos 17 anos uma grande mudança, ela ganhou um presente, meu sobrinho, o Antônio, um menino que encanta por sua educação e leveza, uma cria da fronteira de 2 países. A menina que pouco se importava com as convenções, virou mulher. Cuidar do filho, da família, estudar e trabalhar foi uma grande mudança, mas ela com seu bom humor, normalmente habitual, levava as coisas da melhor forma possível. Minha irmã sempre diz, principalmente quando entro numas crises existências, mano não pensa muito, fala sem pensar é o que eu faço. Ela paga um preço alto muitas vezes pelo seu excesso de sinceridade.

Profissional reconhecida na sua área consegue deixar as situações difíceis da vida mais leve para seus pacientes. Inúmeras vezes recebe presentes dos pacientes e familiares, pelo seu trabalho e seu jeito atencioso, está sempre disposta a ajudar. Minha irmã me mostra a cada dia o que realmente importa na vida, que são as pessoas, ela cuida das pessoas, vive para o outro e o que recebe em troca? Não tem preço.

Nessa nesse teu dia só tenho que agradecer, por ter tido a sorte de te ter como irmão. Tenho o privilégio de conviver contigo, uma pessoa que muitas vezes esquece de si, em beneficio do outro e que não mede esforços para ajudar.

Com certeza tu não és a melhor mulher do mundo, nem a melhor filha, nem a melhor mãe, tão pouco a melhor profissional, e com certeza não é a melhor irmã do mundo. Só tenho certeza que és a melhor mulher que tu poderias ser, a melhor filha que o Guto e a Leonor poderiam ter, a melhor mãe que o Antônio poderia querer, a melhor profissional que teus pacientes queriam ter, e sem sombras de dúvida a melhor irmã que eu e o Gui queríamos ter.

Te amo, te admiro e te respeito muito minha irmã, se o mundo tivesse mais pessoas como você estaríamos muito melhor. Um Enorme beijo no teu coração e FELIZ ANIVERSÁRIO!

Frederico da Luz – 07-04-2014

Gosto do que faço, ou faço o que gosto?

Faço o que gosto

Conversando com um amigo, discorríamos sobre os sonhos e frustrações da vida adulta. Tanto eu, como ele, resolvemos entrar para o serviço público, e obtivemos êxito. Não somos colegas, mas seguimos amigos.

A conversa chegou a um ponto muito interessante. Em alguns casos, muitas vezes temos que fazer coisas que não gostamos no trabalho, até ai nenhum problema, acredito que isso ocorre com praticamente todo mundo, no entanto, algo que ele comentou comigo, foi muito interessante.

Ele em conversa com seu pai, recebeu o seguinte conselho:

– Filho não temos que fazer sempre o que gostamos, e sim aprender a gostar do que formos fazer .

De um problema, saiu à própria solução. Vendo as coisas por este lado, muitas coisas são resolvidas. Se temos que fazer alguma coisa, e não está ao nosso alcance, não fazê-la, não seria melhor fazer com prazer?

Desenvolver um sentimento positivo na ação que deverá ser realizada?

Aquilo ficou na minha cabeça. Hoje dentro do possível aplico ela no meu dia-a-dia.  Óbvio que há coisas que realmente dão pouco, ou nenhum prazer, mas se tivermos uma atitude positiva, e encararmos sobre outra ótica, não se tornaram um fardo, e sim gerar até um pouco de satisfação, senão pelo prazer da atividade em si, mas sim por conseguirmos concretizar ela, de forma positiva.

Frederico da Luz – 03-04-2014

Sempre e nunca

Nunca diga nunca

Palavras fortes têm o poder de transformar o mundo, ou restringir sua complexidade.

Gosto muito do ditado:

– Nunca diga nunca.

Na vida estamos em constante mudança, transformação. O mundo muda, nós mudamos, as relações que temos mudam e esse ciclo é constante, não pára. Temos que estar em constante adaptação.

Muitas vezes tentamos simplificar o complexo com tais expressões:
– Isso nunca aconteceu;
– Sempre vai ser assim.

Qual a base de tais expressões? Estão baseadas numa premissa equivocada, salvo raras exceções, que o mundo é, e sempre será da forma como conhecemos, supõe que sabemos tudo o que virá acontecer. Pretensioso da nossa parte, não?

Temos dificuldade com a mudança, calma, isso não é privilégio seu. O desconhecido assusta, é mais fácil o conforto e a segurança do conhecido, mesmo que este não seja bom.

Então arrisque, tente, crie, faça diferente, e não se deixe influenciar por tais expressões que normalmente escutamos, quando queremos fazer algo diferente. Os loucos não são os que fazem diferente, e sim os que fazem a mesma coisa querendo resultado diferentes.

Sempre esteja em constante adaptação, e nunca pare de sonhar, esse é o segredo…

Frederico da Luz – 29-03-2014

Vida

Vida

A vida é 8 ou 80 e tudo que fica entre ambos.
O que se leva da vida são as sensações, a alegria de um encontro, o momento difícil de dor, o choro, o riso…

A família que nascemos, a família que construirmos, os amigos, os que nos deixam, e os que deixamos. E cada pessoa que passa pela vida da gente, deixando um pouco de si e levando um pouco de nós.

Tudo na vida tem 2 lados, prós e contras, se não podemos controlar o que a vida nos reserva, podemos escolher o que irá ficar guardado em nossa lembrança e coração.

Escolher, o doce, ou o amargo, a delicadeza, ou indiferença, a tolerância, ou a violência… A vida é isso, que colhamos os frutos que plantamos e que possamos continuamente estar plantando, plantando e plantando…

Uma música muito singela e simples consegue sintetizar muito bem a vida, não encontrei o autor, a letra é assim:

“Vida é chuva, é sol, uma fila, um olá
Um retrato, um farol, que será, que será?
Vida é o filho que cresce, uma estrada, um caminho
É um pouco de tudo, é um beijo, um carinho
É um sino tocando, uma fêmea no cio
É alguém se chegando, é o que ninguém viu
É discurso, é promessa, é um mar, é um rio
Vida é revolução, é deixar como está
É uma velha canção, Deus nos deu, Deus dará
Vida é solidão, é a turma do bar
É partir sem razão, é voltar por voltar
Vida é palco, é platéia, é cadeira vazia
É rotina, odisséia, é sair de uma fria
É um sonho tão bom, é a briga no altar
Vida é o grito de gol, é um banho de mar
É inverno, é verão
Vida é mentira, é verdade
E quem sabe a vida, é da vida, a razão”

Frederico da Luz – 17-03-2014

Gaia – Somos todos um só

Gaia

Na mitologia grega, Gaia é o nome da deusa da Terra. Gaia é a personificação do planeta Terra, representada como uma mulher gigantesca e poderosa. Em homenagem à deusa grega, a Teoria de Gaia (também conhecida como Hipótese de Gaia) foi criada pelo cientista britânico James E. Lovelock. Nela o cientista descreve o planeta Terra como um organismo vivo.

A teoria de Gaia nos proporciona reflexões importantes. Sendo a terra considera um organismo vivo, todos nós que fizemos parte dela temos um papel importante para seu funcionamento. Se a teoria estiver correta, e a lógica é muito interessante, teríamos uma função importante e essencial para o bom funcionamento e harmonia do planeta, não sendo mais importante o individual e sim o coletivo.

Não basta que parte da população tenha recursos ilimitados e a maioria sobreviva com dificuldades. Seria como se analisássemos uma pessoa com um coração saudável, mas consumida por um câncer generalizado. O exemplo é absurdo, mas a intenção é retratar o que estamos fazendo com nosso planeta. Extraindo e explorando de tal forma que ele já começa a mostrar sinais de descontentamento. Seriamos nós, os seres humanos, o câncer de nosso planeta?

Acredito que não, mas muitas vezes agimos como se fossemos. Hoje o foco é o individualismo, temos que ser o melhor, o destaque, o todo poderoso, e os outros ficam sempre em segundo plano. Entendo que uma consciência maior de comunidade e de compreensão que fizemos parte do mesmo todo é fundamental para que possamos construir um lugar melhor.

Ou você se sente confortável, em saber que para que alguns estejam bem, há um sacrifício da maioria? E se formos o câncer do planeta, uma hora ele vai querer se curar (nos eliminar), ou simplesmente morrerá… Cabe a nós definirmos que papel nesse grande organismo teremos… Seremos o problema, ou a solução? Com a resposta, vocês…

Frederico da Luz – 27-02-2014

Medo do espelho

Medo do espelho
Vivemos com medo, de não atender as expectativas dos amigos, da família, da sociedade, de sermos simplesmente nós mesmos. Não necessitamos da aprovação de ninguém, a não ser de nossa própria consciência, de estar em paz.

Para estar em paz, é necessário se conhecer, saber quem realmente é, você sabe? Se conhece o suficiente para ser responsável por sua vida, ou sua vida simplesmente é atender expectativas buscando a aceitação que só você pode dar?

Olhar para si requer esforço. Parar, sentir, perceber, observar o que passa dentro de você é essencial e muitas vezes difícil, podemos fazer de nossa vida o que quisermos, mas chegará um momento em que você olhará no espelho, e se não conseguir encarar a pessoa que você vê, será devastador.

Todos erram, temos que aprender com os erros, e todo dia que nasce é tempo de recomeçar. Olhe para dentro e perceba se a vida que você leva é a que deseja, caso não for, é hora de superar o medo, ou se preparar para encarar o espelho.

Frederico da Luz – 09-01-2014

Os verdadeiros ricos

Ricos

Lendo o livro “Armadilhas da Mente” do Augusto Cury, refleti sobre quem é verdadeiramente rico. Quem possui muito dinheiro e pode dispor de todos os bens materiais e recursos que quiser, ou quem consegue sentir, apreciar, as coisas mais singelas da vida, que não custam nada?

Precisamos de dinheiro para atender nossas necessidades, mas o quanto a busca pelo dinheiro nos rouba um tempo precioso. A vida é um show diário, onde as coisas mais belas estão à disposição de todos.
Somos humanos e a vida é sentimento, sensações, o que desperta realmente nosso íntimo, a compra de um carro, ou a experiência de contemplar a beleza única de um por do sol.

Não estou dizendo que comprar um carro, não traga sentimentos bons.Claro que traz, mas se levarmos a vida, curtindo apenas esses momentos, perceberemos que esses sentimentos duram pouco tempo, logo surge um carro melhor, e mais uma vez corremos atrás de mais e mais para que possamos sentir pouco.

Quem vive apreciando esse show diário proporcionado pela natureza, através dos animais, das flores, do dia, da noite, da troca sincera com os outros, com certeza tem uma vida mais feliz e leve.

Existe uma frase muito repetida, e realmente verdadeira:
-A felicidade está nas coisas simples. E felizmente estas são de graça!

Frederico da Luz

Meu apartamento em Miami

Prioridades

Reencontrei um amigo que fazia anos que não o via. Muito bom relembrar coisas da adolescência uma importante fase da vida, nostalgia e saudade não faltaram. Conversamos sobre como mudamos com o passar do tempo. As prioridades e os objetivos se transformam, conforme conquistamos o que almejamos, novos desafios aparecem no horizonte.

Ainda bem, vida é movimento, interação, transformação. Viemos para fazer, não para ficar na frente da televisão vendo a vida passar. Um dos assuntos me marcou bastante.

Falávamos sobre prioridades na vida. Estamos divagando entre um choop e outro e ele me contou uma situação. Um cara referência na área dele, certa vez conversava com mais alguns colegas comentando sobre tudo o que ele tinha conquistado na vida.

A conversa foi mais ou menos assim: Dizia que volta e meia se via pensando se toda essa dedicação ao trabalho, abrindo mão do convívio familiar e dos amigos tinha valido a pena. O cara já tem seus 55 anos e tinha chegado à conclusão que sim, e sabem o por quê? Ele tinha conseguido comprar seu apartamento em Miami.

Fiquei abismado com a resposta. Abriu mão de acompanhar os filhos crescerem, da pelada com os amigos, do carinho da esposa em troca de um apartamento? Seja lá onde ele for, não justifica.
O meu apartamento em Miami é poder ver meus filhos crescerem e acompanhá-los nas descobertas da vida, caso os tenha. É poder jogar meu futebol e comer churrasco com os amigos. É ter tempo para namorar, viajar, ler, escrever, enfim… Simplesmente viver.

Você quer um apartamento em Miami? Está disposto a pagar o real preço dele? Qual o seu apartamento em Miami?

Frederico da Luz – 30-06-2012