Conectados?

Conexão
Vivemos conectados, ficar sem olhar o celular durante mais de uma hora é difícil, uma enxurrada de informações nos é disponibilizada a todo momento, estar desconectado é algo raro.

Aonde iremos com esse “novo” estilo de vida?

O viver conectado está nos roubando outras formas de “conexão”: com nós mesmos e das nossas relações humanas presenciais. O viver conectado nos faz esquecer um pouco de nós, do momento que estamos vivendo, das transformações e experiências que estão nos mudando, sim mudando, nós estamos em constante transformação.

As relações presenciais estão perdendo espaço, quem já não presenciou uma conversa entre amigos ser preterida por uma mensagem de whatsapp, uma publicação no instagram, ou uma curtida no facebook?

É claro que as redes sociais ajudam a manter o vínculo com amigos e familiares, mas temos que aprender os momentos adequados de utilizá-las e não nos tornarmos escravos das mesmas, como se uma mensagem devesse ser imediatamente respondida.

A solução é uma busca que acredito ser essencial em nossa vida em todos os aspectos, o chamado equilíbrio. Nem 8, nem 80, usarmos as conexões virtuais de forma adequada, sem criar uma demanda que prejudique o nosso olhar para dentro, nem tão pouco as relações presenciais com as pessoas próximas.

E você qual conexão vai priorizar?

Frederico da Luz – 14-02-2018

Formas de Amor

Não, não irei escrever sobre ideologia de gênero e relações entre pessoas do mesmo sexo. Escrevo sobre as formas de como demonstramos amor.

Demonstramos esse sentimento de formas diferentes. Alguns usam as palavras, ditas ou escritas, outros o toque, o carinho, o chamego, outros criam oportunidades para o amado(a), são infinitas as formas de expressar o que sentimos.

Percebendo essas diversas formas, noto a dificuldade de algumas pessoas em aceitar o amor, da forma como o outro consegue demonstrar.

Muitos só reconhecem as demonstrações de amor, se estas são como eles gostariam que o outro se expressasse, ou como demonstram o seu jeito de amar.

Condicionando as formas de receber e aceitar o amor, limitamos como o outro demonstra o sentimento mais nobre que existe e colocamos o amor numa caixinha restrita, não permitindo que o outro explore toda sua forma de expressar o seu amar.

Somos diferentes, aceite as infinitas formas que existem de expressar o amor, e demonstre o seu amor da sua forma única e especial.

Frederico da Luz – 01-02-2018

Amor, Satisfação e Desejo

amor-satisfacao-e-desejo

O que seria o amor?
A idealização de alguém com quem nos identificamos. Que nos proporciona um bem estar, onde a sensação de estar junto traz ao mesmo tempo inquietação e paz.
Onde tudo se encaixa e faz sentido, onde não necessariamente faça sentido. Amar é o autoengano mais certo que existe, amar é viver plenamente.

E a satisfação?
Satisfação é a completa insatisfação. Na verdade nunca é alcançada na sua plenitude, pois a satisfação é fugaz e passageira. É um círculo vicioso de querer sempre mais e mais, onde apenas há troca de objetos que nos dão a falsa sensação de satisfação.

E o desejo?
A… o desejo. O desejo é o que não se explica. Ele nos move sem percebermos, tudo que almejamos, queremos, DESEJAMOS e não sabemos. É a vida mostrando o quão louca é. Onde todo sentido, não faz sentido.
Onde tudo, é nada.
Onde o complexo, é simples.

O que move você?

Frederico da Luz – 22-10-2016

Menos expectativas, mais felicidade

12471266_936861666391033_1507895131_o
Um novo ano começou, época de criar novos planos, objetivos e começar o ano novo com muita expectativa. O ciclo normalmente é o mesmo, criamos planos, sonhamos e corremos atrás da concretização.

Também é época de avaliar se conseguimos o que almejamos, nessa mesma época do ano que passou, conseguimos atender todas nossas expectativas?

Criar objetivos novos, traçar estratégias para alcançá-los é muito saudável. No entanto, não podemos criar muita expectativa. Acredito que tudo que é exagerado na vida, não é bom. A vida não é oito, ou oitenta, e sim tudo que existe entre ambos.

A mensuração da felicidade, entendo que seja uma simples equação matemática.

Felicidade = Realidade – Expectativas

Quanto mais dispostos a aceitar e agradecer tudo que a vida nos proporciona, mais feliz seremos, se nossas expectativas forem exageradas, nunca nos consideraremos felizes.

Expectativas são saudáveis? Sim, desde que na medida certa. O importante é aprender a acertar na medida.

Um belo ano novo de muita felicidade!

Frederico da Luz – 02-01-2016

O que somos?

Quem somos?

Uma construção de expectativas? A forma como nos percebemos? O que a sociedade espera? O que a família espera? O que os amigos esperam? O que realmente somos?

Essas perguntas são o que tentamos ser muitas vezes. A construção de nossa personalidade é formada nesse meio. Sem perceber, vários fatores influenciam nossa formação, na constituição do nosso verdadeiro “eu”.

Viver tentando atender essas inúmeras expectativas é demasiadamente pesado, haverá um momento que perceberemos que é impossível atender a tudo, a partir de então começa a construção de nossa verdadeira personalidade.

Perceber que todas as escolhas que fizemos ao longo da vida são de responsabilidade única e exclusivamente nossa, as consequências dessas escolhas também. Há que se ter coragem para encarar que suas escolhas dependem de você. A família, os amigos, com certeza querem o nosso melhor, no entanto, eles não sabem o que é o melhor para nós, na vida há poucas garantias, então corra riscos, os seus próprios riscos, viva a sua vida arcando com suas próprias escolhas, não terceirizando responsabilidades e decisões, lembre as consequências de todas as atitudes (ou falta de atitudes) serão arcadas única e exclusivamente por você.

Já descobriu quem realmente você é?

Frederico da Luz – 20-05-2015

Quero a Revolução!

10422491_733966853367292_6604997089967309855_n
Bela demonstração democrática nas ruas. O povo reivindicando mudanças e transformações para o bem do nosso belo Brasil. O foco das manifestações foi o combate a corrupção e o descontentamento com nossa Presidente.

Quero a Revolução!

Que cada um assuma seu papel de transformação e seja um agente ativo nesse processo. Que tenhamos consciência e responsabilidade sobre nossos erros e atitudes. O problema muitas vezes não está fora, e sim enraizado dentro de nós. Que a lógica do ganha-perde, vire do ganha-ganha.

Quero a Revolução!

Que não nos eximamos de nossas responsabilidades, criticando o outro e esquecendo de fazer nossa parte. Os políticos são o retrato de nossa sociedade, ou não fomos nós que os elegemos?

Quero a Revolução!

Que a riqueza verdadeira, a saúde, o equilíbrio e a paz interior possam ser conquistados por qualquer pessoa, que possamos colocar a cabeça no travesseiro e dormir em paz. Que nossas atitudes não vislumbrem apenas dinheiro, poder e status, e sim algo maior, que não se adquire materialmente. Buscar algo fora, para não precisar olhar para dentro, esse é a eterna fuga de muitos.

Quero a Revolução!

Que o dinheiro público seja destinado de forma adequada. Que entendamos que o Estado é uma construção de todos nós, que a responsabilidade pela mudança está ao alcance de cada um diariamente em suas atitudes e convicções.

Quero a Revolução!

Cobrar os outros, dando exemplo com atitudes, assumindo a responsabilidade de fazer e transformar. Uma sociedade precisa de revoluções. A revolução começa dentro de cada um de nós, com atitudes simples, que farão, toda a diferença. O poder da revolução? Está em suas mãos, basta …

Frederico da Luz- 16 – 03 – 2015

Ame muito

Aamor

Na vida são poucas as certezas que temos, a única real é a morte. Mesmo assim, não é o fim e sim um recomeço.

Como viver nessa “insegurança” da vida?

Como ter um pouco de paz e criar algum sentido, nesse mundo louco?

Além da morte, trago na vida uma certeza que defini como prioridade, o amor. Sentir e explorar esse sentimento tão nobre, muitas vezes deturpado nos dias de hoje. Não importa o quê, ame, ame muito, com todas as forças, esse sentimento é algo que não limita, agrega, não restringe, amplia, não afasta, junta.

Descubra algo que você ame na vida. Pode ser uma pessoa, um trabalho, um lugar, um time, enfim, as opções são muitas, mas ame. E o melhor de tudo isso, o amor expande, faça o exercício de ver amor em tudo que você faz, mesmo nas tarefas “chatas” e corriqueiras, vais ver a transformação que esse sentimento gera.

O amor hoje tão banalizado e distorcido muitas vezes nas redes sociais precisa de menos exposição e “virtualidade” e mais carinho e atitudes.

Quem ama e consegue colocar amor na sua vida é mais feliz. Todos têm capacidade de amar e ser feliz. Amar é um exercício, muitas vezes não fácil, no entanto extremamente recompensador.

Em época de festas e comemorações, ame, não ame pouco, ou comedido ame muito, não economize no amor, ele não precisa de economias. Quanto mais amor se dá, mais amor se tem. E é o amor o sentimento mais nobre que existe nessa nossa louca vida…

Frederico da Luz – 17-12-2014

Inconstâncias e surpresas da vida

Surpresas

Quem nunca viveu uma situação assim:

– Tudo muito certo, no seu lugar, e algo acontece, tudo vira do avesso.

– Ou tudo tá errado, a vida parece uma droga, e ela nos presentei com algo novo, surpreendente que nos faz perceber o quanto a vida vale a pena.

Essas inconstâncias estão na nossa vida, fazem parte dela, lutar contra isso, é desperdício de energia.

Pensamos que controlamos a vida, ela não tem controladores, o máximo que conseguimos é planejar, e quase sempre a execução, saí diferente.

E me questiono o porquê de tudo isso? As idas e vindas, as vindas e idas? Para crescer? Aprender? Ou ficar dando murro em ponta de faca? Como diz uma expressão gaúcha.

A vida tem poucas certezas, muitas dúvidas, muitas surpresas, e uma lógica inquietamente inexistente.

Planeje menos, faça mais, pense menos, viva mais, sofra menos, sinta mais e mais e mais…

Frederico da Luz

Racismo, Hipocrisia e Brasil

Sentado na poltrona

O assunto do momento é o racismo. O Grêmio (meu time) foi excluído de uma competição devido a manifestações racistas de alguns torcedores que estavam no estádio, em um jogo contra o Santos. Vamos deixar claro foram alguns, a maioria esmagadora da torcida gremista, não é racista, e tão pouco o clube, ou será que permitiríamos que o hino tricolor fosse de composição de um negro? Ou ainda que a única estrela que está em nossa bandeira seria homenagem a um negro? Punir um clube, tentando consertar um problema histórico e cultural, é no mínimo questionável.

Hipocrisia, nosso País é assim, não resolvemos os problemas, vamos empurrando com a barriga, varrendo a sujeira para baixo do tapete, quando acontece algo que ressalte isso de forma acentuada é hora da caça as bruxas, é hora de encarar e resolver. É caso de pena de morte para a infeliz jovem que foi filmada proferindo xingamentos? Não, ela errou é fato, mas com certeza já teve a condenação que merecia, perdeu emprego, foi condenada pela sociedade sem julgamento.

Por que não condenamos quem realmente deve ser condenado? Para ficar apenas em um exemplo, como mantemos uma pessoa como Renan Calheiros como presidente do senado federal com o currículo que ele tem? Um cara que já abriu mão do mandato para não ser cassado.

Vamos excluir o Grêmio, com um julgamento inidôneo e imparcial, com um dos auditores do STJD com um humor “peculiar” digamos, fazendo chacota em postagens contra afro descendentes. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço?

Meu Brasil, como me frustra a forma como encaramos os problemas, como se todos nós não soubéssemos que racismo existe, nossa sociedade é racista, somos até de forma inconsciente. Você não sente receio quando uma pessoa de cor a noite chega próxima de você? Sente o mesmo se fosse um branco bem vestido?

O fato é que para encarar os problemas que nosso País têm, e têm muitos. É preciso coragem e querer encarar. Pelo amor de Deus! Isso tudo começa onde?

Na EDUCAÇÃO, país que não investe na educação de seu povo, não evoluí, não cresce. Criamos meros repetidores, e a repetição é burra, ou você aprende sem questionar? E como questionar se nossa pobre educação vive em um sistema arcaico, em que não se estimula a criação? Onde não se paga um salário digno para a profissão mais importante do mundo.

Meu Brasil, que nosso povo se rebele contra a hipocrisia, contra as injustiças, contra todo e qualquer tipo de preconceito, mas antes de tudo isso, que o nosso povo, eu, você, nós, levantemos a bunda da poltrona e vamos parar de reclamar, chegou a hora de agir, chega de rebeldes sem causa. Sou um inconformado pela falta de EDUCAÇÃO e comodismo que impera em nosso Brasil.

E você é inconformado com o quê? Onde sua bunda está agora?

Frederico da Luz – 04-09-2014

 

E o Cachorro acorrentado late…

Bike
Fiz uma viagem de bicicleta pelo interior de Minas Gerais em julho, eu e mais 7 amigos fomos desafiar um trecho da Estrada Real – O caminho do Diamantes. A Estrada é formada por paisagens belíssimas. A viagem propicia momentos para pensar e refletir sobre diversas questões da vida. No primeiro dia da pedalada avistei um cachorro latindo com voracidade, ele estava acorrentado em frente a casa, na saída de Diamantina.

Aquela cena me chamou a atenção, fiquei com aquela imagem durante algum tempo. Todos temos questões que gostaríamos de resolver, que nos inquietam e perturbam, pode ser uma dificuldade no trabalho, um problema de relacionamento ou qualquer coisa que de certa forma nos cause algum tipo de desconforto.

Não raras vezes, sabemos o que deve ser feito e gritamos aos quatro ventos a solução. Gritamos, berramos, se pudéssemos até latir, acho que latiríamos. Só que muitas vezes não conseguimos no libertar da corrente, que nos dá mobilidade mínima, no entanto não cala nossa insatisfação.

A angústia desse tipo de situação é algo que mostra claramente nossa limitação. A vida apesar de linda e especial a cada dia nos mostra que saber diferenciar situações em que realmente não podemos agir ou mudar, das que temos condições de agir é essencial para evitar frustrações.

Não podemos ser acomodados com todas as situações que a vida nos impõe e isso se tornar um impeditivo para mudanças, apenas temos que ter a sensibilidade para saber o que podemos mudar, e aceitar o que não podemos.

Para quem quiser mais informações sobre a viagem pode acessar o blog da viagem – http://pedaladacaminhodosdiamantes.wordpress.com/

Frederico da Luz – 07-08-2014