Menos expectativas, mais felicidade

12471266_936861666391033_1507895131_o
Um novo ano começou, época de criar novos planos, objetivos e começar o ano novo com muita expectativa. O ciclo normalmente é o mesmo, criamos planos, sonhamos e corremos atrás da concretização.

Também é época de avaliar se conseguimos o que almejamos, nessa mesma época do ano que passou, conseguimos atender todas nossas expectativas?

Criar objetivos novos, traçar estratégias para alcançá-los é muito saudável. No entanto, não podemos criar muita expectativa. Acredito que tudo que é exagerado na vida, não é bom. A vida não é oito, ou oitenta, e sim tudo que existe entre ambos.

A mensuração da felicidade, entendo que seja uma simples equação matemática.

Felicidade = Realidade – Expectativas

Quanto mais dispostos a aceitar e agradecer tudo que a vida nos proporciona, mais feliz seremos, se nossas expectativas forem exageradas, nunca nos consideraremos felizes.

Expectativas são saudáveis? Sim, desde que na medida certa. O importante é aprender a acertar na medida.

Um belo ano novo de muita felicidade!

Frederico da Luz – 02-01-2016

Anúncios

Medo do espelho

Medo do espelho
Vivemos com medo, de não atender as expectativas dos amigos, da família, da sociedade, de sermos simplesmente nós mesmos. Não necessitamos da aprovação de ninguém, a não ser de nossa própria consciência, de estar em paz.

Para estar em paz, é necessário se conhecer, saber quem realmente é, você sabe? Se conhece o suficiente para ser responsável por sua vida, ou sua vida simplesmente é atender expectativas buscando a aceitação que só você pode dar?

Olhar para si requer esforço. Parar, sentir, perceber, observar o que passa dentro de você é essencial e muitas vezes difícil, podemos fazer de nossa vida o que quisermos, mas chegará um momento em que você olhará no espelho, e se não conseguir encarar a pessoa que você vê, será devastador.

Todos erram, temos que aprender com os erros, e todo dia que nasce é tempo de recomeçar. Olhe para dentro e perceba se a vida que você leva é a que deseja, caso não for, é hora de superar o medo, ou se preparar para encarar o espelho.

Frederico da Luz – 09-01-2014

Caminhos e expectativas

Expectativas
Viver sem expectativas é bom? Sim, e não.

Sim, porque vivendo dessa forma o que vier é lucro, usando um ditado popular. Não, porque dessa forma não almejamos nada, ou seja, não nos esforçaríamos para chegar a algum lugar.

Refletindo sobre o tema, acho que como tudo na vida, não é uma resposta de 8, ou 80. A vida apesar de ter extremos, a maior parte do tempo acontece no meio de ambos.

Entendo que seja interessante almejarmos e sonharmos, ou seja, criar algumas expectativas e realizar movimentos para que estas se concretizem. Só temos que saber que apesar de todos os esforços, às vezes elas não acontecem.

E apesar de queremos chegar a determinado lugar, a vida nos leva a outro. Explicação para isso? Não sei se há, acho que tudo que a vida nos proporciona serve para crescer, evoluir e apesar de muitas vezes nossas expectativas não serem atingidas, temos que estar tranquilos que o caminho a seguir foi o correto.

Como teremos segurança em saber isso?
Não teremos, a vida é uma caixinha de surpresa.
Temos que estar preparados e saber lidar com os extremos, bem como as variações mínimas que compreendem nosso cotidiano, trabalho, amigos e família que são as relações que nos dão energia para seguir em frente, mesmo sem saber se o caminho é o correto, e se as expectativas serão alcançadas.

O bom da vida é isso, é termos a certeza da incerteza. E nos permitir curtir e alcançar o esperado às vezes, bem como se surpreender e aproveitar o diferente, o que não estava planejado, sempre trilhando seu próprio caminho.

Frederico da Luz – 26-07-13

Você é feliz?

O que você entende por felicidade? No dicionário, esta definido da seguinte forma: Qualidade ou estado de feliz; Contentamento; Sucesso; Êxito. Na minha opinião felicidade é um estado de espírito, uma filosofia de vida. Tudo depende da forma como encaramos as coisas, a forma de lidar com as situações sejam elas boas, ou ruins, o chamado “jogo de cintura”.

Vejo muitas pessoas condicionando sua felicidade a uma meta ou objetivo, escuto às vezes, vou ser feliz quando me formar… Quando comprar um carro…Quando tiver um filho… Quando mudar de emprego. Ao conquistarem o que almejavam se dão conta que não era isso. A felicidade esta no caminho não no destino final. Curtir a vida a cada momento como se fosse único, porque a final ele realmente é. Se você deixou de fazer alguma coisa que queria hoje, esqueça, o tempo não volta, perdeste a oportunidade.

Percebo também que há pessoas que condicionam sua felicidade ao outro, seja a pessoa amada, seja ao pai, ou a mãe, ao filho, ao neto. Essas pessoas ao invés de viverem a sua vida, tendem a viver a vida do outro, limitando seu crescimento e colocando um peso muito grande sobre a outra pessoa. Temos que entender que não temos o poder de transformar as pessoas, entendo que podemos sim sugerir, instigar, provocar, tentar ampliar a visão com que estás visualizam o mundo, mas a transformação senão for interna, não ocorrerá.

Fico assustado com a preocupação e culpa que alguns pais tem em relação aos filhos, se culpam, que se tivessem feito de forma diferente os filhos não estariam passando por situações difíceis e complicadas. No entanto, entendo que infelizmente, ou felizmente depende do ponto de vista, os pais não tem o poder sobre a vida dos filhos, por mais que queiram ou façam movimentos para encaminhar seus filhos da melhor forma, eles não terão garantia de que seus amados descendentes seguirão o caminho sugerido.

Em relação a isso, também ocorre o lado inverso, a culpa que os filhos carregam por não conseguir alcançar e chegar aos objetivos traçados pelos seus pais para suas vidas. Na verdade, o que entendo como ideal, seria tanto pais e filhos conversassem mais a respeito sobre suas vidas e seus objetivos, porque o que importa realmente é cada um estar bem, e tranqüilo consigo mesmo, a paz de espírito e o equilíbrio são facilitadores para encontrar a tão falada felicidade.

A chave da felicidade é o equilíbrio, ou seja, é conseguir que tanto seu lado pessoal como o profissional estejam bem, não vejo como encontrar a tão famosa felicidade de outra forma.

Frederico da Luz – 01-12-2010