RECOMEÇO, OUSADIA E FELICIDADE!!

Ousadia
Ano Novo! Vida Nova!
Em verdade, bem sabemos, não é preciso que o calendário mude para que nossa vida seja renovada!

Inovar é, antes de tudo, uma questão de escolha! Ah, sim, não apenas de escolha, mas acima de tudo, de atitude!

Na vida planejamos coisas que vão se realizando… coisas outras realizam-se sem mesmo planejarmos, mas trazem consigo entusiasmo, ânimo, felicidade… aquele sentimento de realização! Aquela sensação surpreendente de que a vida realmente nos entrega tudo aquilo que a gente pede!

Porém, depois de algum tempo, pode ser que nossa conquista perca a utilidade, porque – bem possível – já cumpriu o seu propósito. Mas… ficamos tão acostumados com a realidade desenhada, preso na idéia de que vivemos o sonho, que se a falta de ânimo voltar a bater a nossa porta, chegamos a nos culpar por deixa-la entrar… e então, nos criticamos, e chegamos a pensar que esta nossa tristeza é absurda, porque a vida trouxe tudo que pedimos…

Mas… não será este o momento em que o recomeço quer dar página a nossa vida? Não será a vida querendo dar um sonoro “acorda”?
Penso que a falta de ânimo e o desencanto com a realidade quer fazer brotar em nós uma necessária energia a nos impulsionar para o novo… para um recomeço! As coisas não precisam estar horríveis para queremos um novo caminho! Podemos mudar, pelo simples desejo de querer fazer algo novo! Pela simples ânsia de querer se proporcionar mais momentos de Felicidade! E também de Evolução!

Sim, e se a palavra é Felicidade e Sucesso, todos querem o segredo para encontra-la! Penso eu que o Bem Viver seja equilibrar momentos de Felicidade e Sucesso, com momentos de Luta, ainda que regado de uma dose de dificuldade. E neste instante, se me fosse dado uma única palavra para instigar alguém no caminho da sua Felicidade, eu me atreveria a sugerir a Ousadia!

Ousar uma nova forma de ver a vida; um novo caminho dentro da rotina; ousar a se permitir ver as coisas ao redor sob um novo ponto de vista… ousar a enfrentar o medo, e tentar o que deseja, nem que seja somente uma vez; ousar ouvir o que a voz interior esta ai cutucando na sua mente… e que você insiste em não querer ouvir…
E não me atreveria a fazer tão ousada sugestão, se dela eu não tivesse colhido os bons frutos que ora experimento… Sim, eu ousei.

Ousei a seguir a intuição, a permanecer com os ouvidos firmes naquela estranha voz que falava… ousei a seguir o que ela mandava… e então, me surpreendi!

Ousei a me permitir um novo caminho, porque não colhera os frutos desejados, e com isso, minha raiz de entusiasmo foi secando gradativamente… Desisti? Jamais! Mas porque não abrir os olhos para a realidade ao redor? Ousei a desafiar o caminho traçado…. e então, encontrei uma realização ainda maior!

Recomeçar é bom; recomeçar por vezes é necessário; mas estou certa que na maioria das ocasiões recomeçar exige um grande dose de coragem, uma boa pitada de ousadia, temperada com muita atitude! Ai então, continuaremos colhendo novos e bons frutos, e preenchendo as páginas do nosso álbum de momentos de felicidade.

Josi Sonagli

Anúncios

Armadilha do Sucesso!

sucesso
Dizem que em time que esta vencendo, não se mexe.
Creio eu, entretanto, que esta máxima deveria ser revisada. O sucesso, a realização em qualquer campo da vida traz como consequência, além da maravilhosa sensação de vitória e desejo de comemoração, o conforto e a ideia de que “chegou o momento de usufrui”.

E é justamente neste momento – penso eu – que nos deparamos com uma grande armadilha da continuidade do sucesso: o próprio sucesso.
O contentamento absoluto, enquanto meta, é a força propulsora da luta. Mas, quando vira realidade… traz consigo o indesejado comodismo.

Reconhecer os próprios méritos, comemorar as boas colheitas e se permitir relaxar é sim, preciso. Porém, assim como no caminho da luta deve-se dedicar um tempo ao descanso, também no momento do conforto da vitória é importante dedicar uma atenção a luta.

O mundo é literalmente um círculo em momento. E diga-se, em alta velocidade. Mudam-se os hábitos. Muda a cultura. É preciso que estejamos atentos às mudanças, para não perdemos a percepção da realidade em que vivemos. E isso vale tanto para o campo das relações pessoais como na área dos negócios profissionais.

O que deu certo em determinado momento, pode tornar-se ultrapassado e sem efeito, em instantes seguintes. E então, continua-se a fazer as mesmas coisas, agir da mesma maneira, observar o mesmo processo.. sem colher os mesmos frutos! E daí vem o desespero, as dúvidas, a busca por respostas inexistente: é simplesmente o momento que clama por novas atitudes.

No campo dos negócios, vemos diversas empresas que um dia dominaram o
mercado por determinado período, cujo sucesso encheu o brio e os olhos dos administradores a ponto de não enxergarem o momento de inovar. Decaíram, porque insistiram em continuar com os métodos defasados… por orgulho diante da necessidade de mudar; de seguir novas ideias.

Também assim nos relacionamentos afetivos, muitas vezes reclamam os pares que o outro mudou, que não é mais o mesmo, por isso as coisas esfriaram e acabaram. De fato, todo aquele que busca evoluir vai modificando certos comportamentos ao longo do tempo. Apenas estátuas não mudam. Esperar que o outro atenda ao longo da vida sempre as nossas expectativa, e seja sempre aquilo que sonhamos é se confortar demais com o sucesso alcançado no amor, e deixar que o comodismo nos engesse, nos cegue, e nos impeça de evoluirmos.

Por isso, ao atingirmos o sucesso, brindemos, louvemos e continuemos o movimento, atentos às mudanças que ocorrem a nossa volta, e que exigem de nós inovações de comportamento e atitude para realizá-las.

Josi Sonagli

Você é feliz?

O que você entende por felicidade? No dicionário, esta definido da seguinte forma: Qualidade ou estado de feliz; Contentamento; Sucesso; Êxito. Na minha opinião felicidade é um estado de espírito, uma filosofia de vida. Tudo depende da forma como encaramos as coisas, a forma de lidar com as situações sejam elas boas, ou ruins, o chamado “jogo de cintura”.

Vejo muitas pessoas condicionando sua felicidade a uma meta ou objetivo, escuto às vezes, vou ser feliz quando me formar… Quando comprar um carro…Quando tiver um filho… Quando mudar de emprego. Ao conquistarem o que almejavam se dão conta que não era isso. A felicidade esta no caminho não no destino final. Curtir a vida a cada momento como se fosse único, porque a final ele realmente é. Se você deixou de fazer alguma coisa que queria hoje, esqueça, o tempo não volta, perdeste a oportunidade.

Percebo também que há pessoas que condicionam sua felicidade ao outro, seja a pessoa amada, seja ao pai, ou a mãe, ao filho, ao neto. Essas pessoas ao invés de viverem a sua vida, tendem a viver a vida do outro, limitando seu crescimento e colocando um peso muito grande sobre a outra pessoa. Temos que entender que não temos o poder de transformar as pessoas, entendo que podemos sim sugerir, instigar, provocar, tentar ampliar a visão com que estás visualizam o mundo, mas a transformação senão for interna, não ocorrerá.

Fico assustado com a preocupação e culpa que alguns pais tem em relação aos filhos, se culpam, que se tivessem feito de forma diferente os filhos não estariam passando por situações difíceis e complicadas. No entanto, entendo que infelizmente, ou felizmente depende do ponto de vista, os pais não tem o poder sobre a vida dos filhos, por mais que queiram ou façam movimentos para encaminhar seus filhos da melhor forma, eles não terão garantia de que seus amados descendentes seguirão o caminho sugerido.

Em relação a isso, também ocorre o lado inverso, a culpa que os filhos carregam por não conseguir alcançar e chegar aos objetivos traçados pelos seus pais para suas vidas. Na verdade, o que entendo como ideal, seria tanto pais e filhos conversassem mais a respeito sobre suas vidas e seus objetivos, porque o que importa realmente é cada um estar bem, e tranqüilo consigo mesmo, a paz de espírito e o equilíbrio são facilitadores para encontrar a tão falada felicidade.

A chave da felicidade é o equilíbrio, ou seja, é conseguir que tanto seu lado pessoal como o profissional estejam bem, não vejo como encontrar a tão famosa felicidade de outra forma.

Frederico da Luz – 01-12-2010