Viver

Viver

Viver

Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz…

Essa música do Gonzaguinha um clássico brasileiro, reflete como poucas canções a maneira que deveríamos levar a vida.

Não ter a vergonha de ser feliz… Fazer tudo o que tivermos vontade, sem se importar com o que as pessoas irão pensar, simplesmente viver de forma intensa e plena seus sonhos e desejos.

A beleza de ser um eterno aprendiz… Sempre estamos aprendendo, a vida não vem com um manual de instruções em que se fizermos alguma coisa, outra acontecerá. Não é uma equação matemática onde o resultado é exato e objetivo.

Viver aprendendo, sem se preocupar, apenas se permitindo descobrir, sentir e viver.

Pensamento utópico? Penso que não. Vivemos em sociedade, temos que seguir determinada regras? Sim. Só que isso não pode ser desculpa para sonegarmos nossa verdadeira essência.

Viver se escondendo de si mesmo é um fardo demasiado para uma vida. Faça o que goste, descubra o que realmente ama, e viva intensamente. Se esconder atrás de um personagem para os outros, não é bom. Se esconder de você é insustentável.

Viva a vida, sem medo de ser feliz!

Frederico da Luz – 12-07-2013

Anúncios

Saudade

Difícil falar de sentimento, ainda mais de saudade. O que é sentir saudade? Como podemos sentir falta de alguém? Esse sentimento é bom e ruim, bom porque significa que gostamos de alguém, sentimos falta da presença, queremos sua companhia. Ruim porque saudade às vezes dói e muito, não estar perto da pessoa amada, gera um vazio, um sentimento de falta…

Nos relacionamentos geralmente achamos que “temos” a outra pessoa, difícil não sentir certo sentimento de posse, mesmo sabendo que ninguém é dono de ninguém. Por que será que geramos esse sentimento? Se mal conseguimos trabalhar nossos medos, desejos e angústias, como trazer para nossa responsabilidade a vida de alguém a ponto de nos acharmos “donos” da outra pessoa, que louco isso, não?

Entendo que ai começa o termino de um relacionamento, esse sentimento de posse geralmente cria o ciúme, um pouco até faz bem, porque demonstra um sentimento de afeição entre as pessoas, mas nada que seja demasiado e limitador.

Um relacionamento deve ser para agregar algo em nossa vida, tornar ela mais alegre do que já é, se colocamos limitações na vida do amado, estamos privando ele de sua vida, de seus desejos e objetivos, vamos torná-lo dessa forma infeliz, é isso o que desejamos?

Quando estou com alguém quero que a pessoa esteja realizada, tenha sua vida própria, para que possamos partilhar suas conquistas e derrotas, o relacionamento não pode ser o sentido da vida, pode sim reforçar, realçar o prazer de viver, mas não se tornar o sentido de nossa existência.

Somos únicos, completos, perfeitos, cada um na sua característica e complexidade, não precisamos de nada, nem ninguém para sermos felizes, mas um amor que venha para agregar, potencializar nossa vida, sempre será bem vindo, então por que não se entregar, viver esse amor? Ou você vai ficar com medo de sentir saudade…

Frederico da Luz – 24-01-2011