O Escritor

Hoje vou escrever o que sinto ao ler meus textos após algum tempo, ou depois que recebo algum comentário. Sinto que muitos dos meus textos são construções de um ideal, ou seja, de algo que eu gostaria muito de conseguir “ser”, infelizmente, ou felizmente não consigo, e algumas vezes consigo em parte.

Recebo alguns comentários sobre o que escrevo, e me pergunto. Como é mágico o poder da escrita e o grande poder que o leitor tem em se identificar, trazendo a sua experiência de vida para dentro do texto, construindo algo que só ele pode ver. Relendo meus textos pela ótica dos comentários, visualizo coisas que antes nem imaginava. Aprendo com isso, às vezes reavaliando o que pensava a respeito de determinado assunto.

Mudar de ideia e opinião não é nenhuma vergonha, e sim uma demonstração de humildade, ter consciência que não somos o dono da verdade, nos torna mais humano. Como já escrevi em alguns textos, o que escrevo são apenas percepções, nada definitivo, apenas divagações que faço sobre alguns aspectos que me intrigam e chamam minha atenção.

Confesso que escrever é algo que me faz bem, não sei explicar o motivo. Talvez seja a forma mais fácil que encontro de visualizar e encontrar um “caminho”. Partilhar meus textos com vocês é muito bom, receber um elogio é ótimo e a crítica também tem seu ponto positivo, ela me faz ver a vida de outra forma. A vida tem tantos momentos positivos, de felicidade e alegria, como momentos de tristezas e decepções, mas tudo isso nos faz crescer e ser mais HUMANOS.

Anúncios

4 thoughts on “O Escritor

  1. Olá Frederico,

    a escrita cumpre uma função muito importante, que é sustentar, diante daqueles que têm coragem para ler, que seu autor se autoriza em seu ponto de vista, como somente ele poderia fazê-lo. E mais além do prazer que teus textos possam gerar está o desafio que nos lança, precisamente, que também possamos nos autorizar em nossa autoria. Muito obrigado Frederico.

  2. Toda a arte reflete um momento.
    Eu particularmente sempre me expressei melhor em artes visuais. Já joguei palavras ao ar, gostei muito
    como comentei em outros momentos requer tempo.
    A interatividade que encontramos em grupos de estudos, avaliava que seria muito difícil encontrar em espaços virtuais. Depois de fazer um curso a distância promovido pelo Ministério das Cidades percebi em diferentes fóruns que a interatividade é viável em ambientes virtuais. Passamos a não mais nos identificar visualizando as pessoas, mas a partir de seus nomes, codinomes…
    Concordo contigo, ler e reler o que escrevemos hoje ou ontem. Ouvir e curtir a manifestação do outro é muito interessantes. As releituras não são iguais, isto porque cada um teve um caminho que seguiu.
    Colheu as flores que colheu, os frutos ou recebeu os doloridos ataques dos espinhos. Mas valeu, pois teve a intenção de semear. E ao semear pensamos em novas vidas…
    Continua a semear palavras, letras. Nossa vida hoje (sempre na correria) muitas vezes não nos permite curtir e dedicar o tempo que cada um merece. Parece surreal, mas muito do que te conheço hoje tive conhecimento a partir dos textos do que anos de convivência. Parábens pelos textos e pela interatividade de quem sempre acompanha teus escritos. Seja tendo a coragem de interagir ou a cuidadosa e não menos importante leitura.

  3. Frederico……..
    Como sempre……a identificacão é imediata!!!!
    Em todos os teus textos eu encontro alguma palavra,frase ou expressões que como a Gabe falou, me transporta para o meu interior e…..eu gosto muito disso….
    Aceitar as mudancas diárias da vida, assim como as nossas ,as de todo o Universo e das pessoas que nos rodeiam realmente é um sinal que tudo que acontece conosco e ao nosso redor, nada mais é que crescimento e aprendizado . Eu penso(ou melhor como tu fala,divago,reflito…..)que está aí o grande mistério e mágia que a vida nos proporciona a cada NOVO dia que amanhece….o crescimento…..que inevitavelmente um dia nos levará a maior de todas as virtudes a……HUMILDADE!!!!!

    Bjo,bjo,bjo,bjo……mimosinho da tia.

  4. Fred,
    A experiência de reler os próprios textos deve ser semelhante à de rever antigas fotografias. É maravilhoso voltar no tempo e se deparar com os pensamentos que viam na cabeça naquela hora né? Nessas ocasiões conseguimos até interpretar de alguma outra forma, sem a visão viciada de quem acabou de escrever.

    O conteúdo dos textos que escrevo é muito diferente das tuas ótimas reflexões, mas o prazer que tem em voltar no tempo e ler tudo de novo é uma sensação muito boa. pois me remete a episódios da minha vida os quais não me lembraria se não tivesse escrito. Deve ser mais ou menos o que acontece contigo, né?

    Mudar de idéia ou de atitude perante o que escrevemos ou dizemos, como mesmo mensionaste, é pura humildade e humildade é virtude de poucos!

    Continue escrevendo e relendo!
    bjão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s