O botãozinho

 

A vida é uma caixinha de surpresas. Quando pensamos que tudo esta no lugar, como sempre queríamos, algo acontece e nossa vida muda totalmente. Amamos, nos apaixonamos, sofremos e a vida segue. Não entendo o porquê de toda essa caminhada, que às vezes machuca e muito.

Não seria mais fácil se pudéssemos escolher quem gostaríamos de amar? Tenho certeza que seria, mas e onde estaria a graça da vida? Onde ficariam guardadas nossas emoções, nossos sentimentos? Não sei por que amo alguém, ou não amo, minha capacidade intelectual e cognitiva não me dão razões suficientes que possam justificar, ou não isso.

As relações humanas me intrigam, não compreendo porque temos que passar por tanto desgaste emocional para sermos felizes. Quando perdemos uma pessoa querida fica um vazio enorme dentro da gente, aquele espaço que tinha dono, hoje não tem mais, esse nunca mais será preenchido, as pessoas são únicas e ninguém é igual a ninguém, ficam as lembranças, os momentos felizes, e temos que aprender a conviver com esse vazio.

Às vezes gostaria de ter um botãozinho que funcionasse assim: agora quero amar determinada pessoa, bastava apertá-lo e imediatamente estaria morrendo de amores. Se acontecesse de a outra pessoa não corresponder a esse sentimento, simplesmente, apertaria novamente o botãozinho e tudo estaria resolvido, o amor estaria “desligado”, não existiria mais.

Pergunto, iríamos ser felizes se tivéssemos tal botãozinho? Sinceramente acredito que não. A vida seria racional demais. É certo que os relacionamentos que temos servem para crescermos, nos conhecermos melhor, ver que somos humanos, temos falhas, erramos, sofremos, amamos há uma confusão de sentimentos em cada relação, por que, de fato, elas não tem parâmetro. Cada pessoa é única e, por isso, um relacionamento, a não ser que seja entre os mesmos envolvidos, sempre não terá parâmetro.

Na vida sempre tento agregar o que vejo de bom nas pessoas, nos relacionamentos também faço isso, ficam os momentos, as lembranças e o amor que sempre existiu só que as vezes se transforma em algo que não temos controle, que falta faz o botãozinho…

Frederico da Luz 22-01-2011

Anúncios

5 thoughts on “O botãozinho

  1. Muito boa Fred!! Ri lendo teu texto!! eu também queroo um botãozinho destessss!!!!!
    Oh, quem dera! Mas um dos leitores falou muito bem: são os tormentos, as tristezas, as dores, os amores não correspondidos que acabam por trazer a evolução de nossa alma!!
    Não queremos as dores, nem as cruzes, mas depois que superamos o tormentoso período, percebemos que acabamos nos tornando pessoas melhores!
    Não é mesmo??
    A propósito, já viu o filme: “Brilho eterno de uma mente sem lembrança”?? Depois de ver.. pensando bem… eu só queria o botãozinho se pudesse ligar de volta, quando quisesse recordar… rsrsrsr! Vejam lá!
    Bjs e boa semana!

  2. Frederico…como eu queria um “”botàozinho”” desses……verdade…..queria mmmttooo
    bjbjbjbjbjbj
    eu te amo!!!!!

  3. Na moral a vida não teria qualquer graça se existisse um botãozinho para vontades! Essas dificuldades são a nossa evolução, pois o ser humano é um ser que vive de superações, desde o aprender a caminhar até compreender e aceitar sua partida dessa para uma melhor!
    Sinceramente, mas sofrer por amor até é gostoso determinadas vezes.. o botãozinho só iria estragar tudo isso, ehehheheh
    Abraço!

  4. Fred!!!

    Muito legal o texto, realmente a vida não teria graça com o “tal” botãozinho, mas que falta ele faz às vezesss…rsrsrrs.
    Segue escrevendo,não desiste…teus textos estão cada vez melhores!
    Bjoss
    Clara

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s