A crítica útil

Você já parou para pensar quanto tempo perdemos no dia reclamando e fazendo críticas? Essa atitude apesar de parecer ruim pode ter um lado positivo, se ela propiciar visualizar uma possível solução para aquele “problema” que a nossa percepção detectou.

 

A crítica útil ou construtiva, além de apontar e demonstrar uma insatisfação pessoal em relação a alguma coisa ou pessoa nos faz pensar e criar alternativas para que esta seja “resolvida”. Aí esta o detalhe que diferencia a crítica que gera o crescimento e aperfeiçoamento (defino-a como útil ou construtiva), das que tem apenas o intuito negativo, não dando margem a possibilidade de resolução e crescimento.

 

Estas, além de não acrescentar nada, deixam a pessoa criticada em uma situação muito delicada. A mesma fica sem “um caminho” para lidar com aquela situação, já que o atual não é suficiente e a visualização de uma alternativa que possa suprir essa lacuna, fica imposta a ela. Geralmente isso é um complicador, pois em princípio o problema não existia, ou, pelo menos, não era percebido.

 

Parto da premissa de que, se há gasto de energia e tempo criticando algo, deve se gastar, no mínimo, a mesma quantidade tentando criar alternativas para solucionar o problema levantado. Se não for assim, qual seria a real função da crítica? Se criticar não gerar um “salto” ou melhora em relação a alguma coisa, para que existe ela?

 

Isso nos faz refletir, sobre muitas coisas que passam despercebidas durante o corre-corre do dia a dia. Por que fulano não faz isso diferente? Será que ele não percebe que existe uma forma mais “correta’ para esta situação?

 

Além do seu criar alternativas, a crítica útil deve ser também trabalhada para que a pessoa que a receber  perceba que a intenção do crítico é o crescimento do criticado ou aperfeiçoamento de determinada situação. Isso só é possível, se quem realiza a crítica consegue deixar claro a sua intenção. Isso não é tarefa fácil.

 

Infelizmente, em algumas situações, as pessoas não recebem bem a crítica, e não raro, interpretam-na como uma afronta pessoal. Ter a sensibilidade de expor e se expressar, na hora de fazer uma crítica, é uma habilidade interpessoal a ser trabalhada, para tudo existem formas, e formas de se fazer.

Então, criticar é útil, ou não?

 

 Frederico da Luz – 22-08-2010

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s