Normais ou loucos?

Socialmente existe um padrão a seguir para ser considerado “normal”. Casar, ter filhos, ser magro, ter dinheiro, entre outras coisas… Se portar de acordo com o que a sociedade espera. Esse é o “normal”…

O “louco” são todas as outras formas que não se encaixam nisso, seja uma maneira diferente de pensar, de ver a vida, de levar a vida, tudo que é diferente assusta, é mais fácil rejeitar o diferente do que crescer e respeitar as diferenças, aqui me refiro a toda e qualquer diferença, crença, sexo, ideologia…

O que vivemos hoje é uma briga de imposição pessoal entre as pessoas, que querem impor as suas verdades, o seu “normal”, se não é do jeito e da forma que quero, ou penso, não serve, devo rejeitar, destruir.

Deixamos de crescer e aprender todos juntos ao não aceitarmos as diferenças, elas nos permitem pensar fora da caixinha, nos mostrando outra visão. Não é feio mudar de opinião, nem tão pouco mantê-lá, desde que aceitemos a liberdade do outro de mudar, ou manter suas convicções.

O que falta no mundo de hoje é tolerância, compaixão, respeito e amor.

Vamos exercitar mais isso?

Frederico da Luz – 16-03-2018

Anúncios

A moda e os desafios

Desafio

A última febre do momento são os desafios nas redes sociais. Começou pela campanha criativa contra uma doença e agora temos desafios de todos os tipos. O ser humano precisa aparecer, é muito criativo, e as redes sociais têm uma enorme força de divulgação.

Campanhas com o intuito de colaborar, como no caso do combate a doença que impulsionou tudo isso, iniciou com uma atitude nobre, logo fomos distorcendo. O desafio pelo simples desafio já domina as redes sociais.

Queria propor um simples desafio, o de votar correto e consciente.

Será que conseguimos estudar e aprofundar nesse tema de extrema relevância? Ou ficaremos conformados como muitos, em ficar sentado no sofá só reclamando? Você sabe qual foi seu último candidato para deputado ou senador? Acompanhou o que ele desempenhou no seu mandato? Você sabe o que eles fazem? Seu próximo voto será após ter estudado o candidato e suas propostas, bem como sua qualificação?

A moda é criticar, e reclamar. Por que não podemos mudar isso para o fazer? Entender e se envolver com política faz parte da vida de pessoas que vivem em sociedade, e política é diferente de politicagem. Esta só existe, por que nós deixamos, ou não somos nós que elegemos os políticos que tanto criticamos?

Não gosto de generalização, existem muitos políticos corretos, muita gente boa querendo transformar essa triste realidade de corrupção que enfrentamos. Só que para isso eles precisam de você, do seu voto, do seu envolvimento, até por que serão o seu representante. A política deve ser feita por pessoas que tenham capacidade e entendam que o bem comum é o que deve ser priorizado.

A escolha é nossa. O poder está em nossas mãos, ou começamos a mudança, ou ficamos sentados reclamando? Qual será sua escolha? Não precisamos de políticos empíricos e sim de profissionais, de gestores, chega de amadorismos e achismos, temos que eleger quem preza pela ética e tem capacidade e conhecimento para dar a contribuição que a sociedade precisa, e quem pode resolver tudo isso? Eu, você, nós, é tudo uma questão de escolha e envolvimento.

Tem uma frase que gosto, não recordo o autor:

¬ – Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.

Já sabe qual vai ser seu desafio?

Frederico da Luz – 29/08/2014