A moda e os desafios

Desafio

A última febre do momento são os desafios nas redes sociais. Começou pela campanha criativa contra uma doença e agora temos desafios de todos os tipos. O ser humano precisa aparecer, é muito criativo, e as redes sociais têm uma enorme força de divulgação.

Campanhas com o intuito de colaborar, como no caso do combate a doença que impulsionou tudo isso, iniciou com uma atitude nobre, logo fomos distorcendo. O desafio pelo simples desafio já domina as redes sociais.

Queria propor um simples desafio, o de votar correto e consciente.

Será que conseguimos estudar e aprofundar nesse tema de extrema relevância? Ou ficaremos conformados como muitos, em ficar sentado no sofá só reclamando? Você sabe qual foi seu último candidato para deputado ou senador? Acompanhou o que ele desempenhou no seu mandato? Você sabe o que eles fazem? Seu próximo voto será após ter estudado o candidato e suas propostas, bem como sua qualificação?

A moda é criticar, e reclamar. Por que não podemos mudar isso para o fazer? Entender e se envolver com política faz parte da vida de pessoas que vivem em sociedade, e política é diferente de politicagem. Esta só existe, por que nós deixamos, ou não somos nós que elegemos os políticos que tanto criticamos?

Não gosto de generalização, existem muitos políticos corretos, muita gente boa querendo transformar essa triste realidade de corrupção que enfrentamos. Só que para isso eles precisam de você, do seu voto, do seu envolvimento, até por que serão o seu representante. A política deve ser feita por pessoas que tenham capacidade e entendam que o bem comum é o que deve ser priorizado.

A escolha é nossa. O poder está em nossas mãos, ou começamos a mudança, ou ficamos sentados reclamando? Qual será sua escolha? Não precisamos de políticos empíricos e sim de profissionais, de gestores, chega de amadorismos e achismos, temos que eleger quem preza pela ética e tem capacidade e conhecimento para dar a contribuição que a sociedade precisa, e quem pode resolver tudo isso? Eu, você, nós, é tudo uma questão de escolha e envolvimento.

Tem uma frase que gosto, não recordo o autor:

¬ – Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.

Já sabe qual vai ser seu desafio?

Frederico da Luz – 29/08/2014

Anúncios

Eleições brasileiras de 2100!

Hoje, um dia agradável de primavera, último domingo de outubro de 2100. Acordo cedo, como de costume. Tomo meu café e me dirijo a minha seção eleitoral. Esse ano haverá segundo turno, tanto para presidente, como governador. Os candidatos mostraram-se muito qualificados e preparados para a função, ambos com pós-doutorado em gestão pública e experiência comprovada na área.

Após refletir e analisar as propostas decidi votar em Augusto para presidente e em Vitória para governador. Seus planos de governo são semelhantes, o foco de ambos é a educação. A candidata a governadora quer qualificar os professores que trabalham nas séries inicias. Estes trabalham a criança, no seu primeiro contato com a sociedade entendo que este profissional, apesar de sua crescente qualificação nos últimos anos, deve ser mais valorizado, pois tem um papel decisivo na formação do cidadão.

Já o candidato Augusto tem um plano interessantíssimo para a educação superior, há uma grande fuga de pesquisadores atualmente. O plano contempla a valorização destes profissionais, incentiva suas pesquisas e proporciona a permanência dessas mentes brilhantes no Brasil.

Nosso País tem uma taxa de alfabetização muito próxima dos 100%, não existem analfabetos praticamente, todos os alunos antes dos 15 anos falam fluentemente duas línguas (espanhol e inglês), sendo que já estudaram 6 meses no exterior no país de sua escolha. A educação de nível superior é reconhecida internacionalmente pela sua qualidade.

Estava tranquilo e consciente de ter feito a melhor escolha, mesmo sabendo que os candidatos que concorriam com os que eu escolhi também eram bem preparados e tinham propostas interessantes, mas não com o foco em educação que para mim é o cerne da questão e causa principal de todos os problemas do País.

A taxa de violência vinha em queda e a saúde já era referência. Na verdade nosso país era o mais destacado no cenário mundial, estava faltando apenas a cereja no bolo, o ajuste fino na questão educacional. No meu entendimento, era apenas qualificar ainda mais os professores das séries iniciais e evitar a saída dos cientistas e pesquisadores para o exterior, pois no geral o Brasil estava muito bem, temos um dos melhores IDH do mundo.

Os debates do segundo turno foram de alto nível, debates de ideias inteligentes e interessantes sobre vários pontos cruciais para o Brasil. Bem acabo de votar, antes de sair, minha mulher convidou para irmos votar na seção dela e prontamente aceitei. O sistema de votação possibilita que o voto seja realizado em qualquer seção, há apenas a sugestão da mesma, nosso sistema eleitoral é referência a mais de século.

Após um domingo agradável em família, às 17 horas a votação é encerrada. Exatamente às 18 horas, para minha alegria meus candidatos se elegem. Nos seus primeiros discursos, convidam os candidatos derrotados para participarem do governo, com suas ideias e ambos aceitam o desafio.

Bem, você acha que isso é um filme de ficção? Ou um sonho muito distante? Eu não! Eu acredito no meu País, o Brasil. Temos um potencial incrível, um povo trabalhador e alegre, com um vasto território e beleza naturais únicas, por que não lutar por uma transformação? Vamos sair do comodismo, parar de reclamar, buscar alternativas para o que consideramos que não está certo. Vamos viver, lutar pelo que acreditamos.

Eu não me arrependo de tentar, fazer, ter atitudes, de viver… Me arrependo sim, do que eu penso e não faço, a inércia me agonia. E você se arrepende de quê?

Frederico da Luz – 31-10-2010