Meu “inimigo”, o meu espelho

Você tem alguém que considere inimigo? Talvez não seja essa a palavra, que não tenha simpatia por determinada pessoa, devido a algum ou vários motivos? Entendo que dificilmente alguém não visualize uma pessoa que se encaixe nesse perfil, ou você ama todo mundo? Como gostaria de ser assim, mas não consigo, tem pessoas que eu não gosto, não sei explicar o porquê.

Hoje já consigo identificar a real função dessas pessoas em minha vida. Vamos pensar assim, sigam meu raciocínio, tenho muito claro isso. As pessoas com quem não temos afinidade retratam algo que não conseguimos trabalhar em nós mesmos, simplificando, elas têm uma característica que não temos, algo que gostaríamos de ter. Reflitam a respeito, isso não acontece com você?

Na minha infância brigava muito com um primo, às vezes ele dava motivo, outras não, minha tolerância em relação a ele era mínima, já em relação a outras pessoas não. Hoje consigo visualizar o porquê de minha atitude. Eu gostaria de ter o jeito descolado que ele levava a vida, eu queria ser assim no fundo, mas não conseguia, já ele era assim. Vejo que isso era a tão falada inveja, eu queria aquilo, mas não sabia como, e minha revolta não era em relação a ele, e sim em relação a mim mesmo, interessante não?

Mais uma vez reforço e acho importante salientar, que meus textos não são científicos, ou seja, não sei se estou “certo” ou “errado”, são apenas reflexões minhas a respeito da vida e do cotidiano, que gosto de expor, se ajudar alguém com isso, estou realizado.

Frederico da Luz – 16-11-2010

Anúncios